Stranger Topics | Tendências para a década 2020

Publicado por

Publicado a Dezembro 4, 2019

Geralmente, os jornalistas gostam de associar avanços tecnológicos a desemprego e concentração de riqueza. Mas, entretanto os últimos três séculos de história demonstram que a sociedade se beneficia a médio e longo prazo. Isto porque mesmo que tais avanços concentrem riquezas nas mãos dos acionistas das empresas que os criaram, estes mesmos avanços trazem ganhos de produtividade que, por sua vez, geram crescimento económico distribuídos por toda a população.

Um exemplo clássico é o caso dos fertilizantes. Em 1931, dois cientistas alemães ganharam o prémio Nobel pela invenção de um método para sintetizar o Nitrogénio, elemento essencial para a fotossíntese das plantas e principal componente dos fertilizantes. Este avanço possibilitou o uso de grandes quantidades de fertilizantes no mundo inteiro a uma fração do custo da alternativa passada que era importar Guano (uma substância derivada de dejetos de pássaros e morcegos) do Chile e Peru.

Como já somos diariamente bombardeados por previsões de catástrofes económicas e ambientais, apresentamos neste artigo uma perspectiva otimista para as próximas décadas com base nos trabalhos que cientistas e empreendedores estão a desenvolver agora nos seus laboratórios e empresas. O que se segue são, na nossa visão, os componentes fundamentais da nova arquitetura do futuro.

 

#1 Casas Inteligentes

A IKEA anunciou este ano uma nova divisão de smart home que cuidará exclusivamente do desenvolvimento de projetos da empresa sueca para a casa do futuro. Sendo a líder em diversos países em vendas de móveis e decoração, a IKEA é mais do que uma loja de camas e sofás. A empresa é uma plataforma que hoje é usada por 1 mil milhão de pessoas no mundo. De lâmpadas inteligentes a cortinas que operam por comandos de voz, a IKEA posiciona-se para trabalhar com os fornecedores de plataformas de IA como a Amazon, o Google, a Apple e a Microsoft para criar a casa do século XXI. 

Longevidade e smart homes são uma combinação que faz muito sentido do ponto de vista económico e estas empresas sabem disso. Elas estão a focar-se na população mais velha das próximas décadas que estará mais em casa, seja a trabalhar ou reformada, e com mais tempo para usufruir dos confortos que esta tecnologia pode proporcionar.

 

 

#2 Longevidade

Em 1901, a expectativa de vida nos EUA era de 49 anos. No final do século XX, esta expectativa atingiu os 77 anos. Se pensarmos que em 1901 nem os fertilizantes nem a penicilina tinham sido descobertos, começamos a entender o porquê deste incremento impressionante. Analogamente, devido a novos significativos avanços tecnológicos que serão introduzidos nas próximas décadas, espera-se por um novo salto nesta média; alguns autores arriscam uma expectativa de 130 anos para o final do século XXI.

Uma população que vive mais e melhor vai desenvolver novas necessidades e hábitos e com isto criar novos nichos no mercado inimagináveis até hoje. Além das indústrias mais óbvias, como o turismo e saúde, entretenimentoassistentes inteligentese-commerce, sistemas de telepresença e de realidade aumentada são segmentos do mercado com potencial para acrescentar dezenas de mil milhões de euros anuais à economia mundial.