O TikTok faz sentido para a minha marca?

Publicado por

Publicado a Fevereiro 20, 2020

Nos últimos meses tenho ouvido esta pergunta várias vezes, nos mais diversos meios. Se nos Estados Unidos da América já são mais de 26 milhões os utilizadores activos que passam 46 minutos por dia na app, em Portugal os dados são ainda escassos, mas a vontade e a curiosidade de experimentar por parte das marcas e criadores de conteúdo é muita.

Se por um lado vemos os criadores de conteúdo a entrar em força, por outro vemos as marcas ainda muito tímidas. Quando surge uma nova rede social nem sempre é fácil perceber se faz sentido integrá-la na estratégia de comunicação, mas as marcas precisam de estar atentas e ter a capacidade de agir rapidamente.

A necessidade de comparação com outras redes sociais surge de forma espontânea. Muitos dizem que o TikTok é o novo Instagram. Na minha opinião, são redes sociais com objectivos totalmente distintos e, por isso, existem tantas barreiras à entrada.

Primeiro, o TikTok é baseado em conteúdo e não em relacionamento. Isto significa que quando um utilizador abre o feed vê primeiro o conteúdo mais popular, em vez do conteúdo das pessoas que segue. A nível de conteúdo é também o oposto do Instagram, das imagens perfeitas e altamente trabalhadas.

Estas diferenças tornaram o TikTok uma rede social maioritariamente utilizada pela Geração Z. Uma rede social autêntica, com pessoas reais e sobre a vida real, tal como a própria marca reforçou na sua estreia no Super Bowl com um anúncio que fecha com o claim “Real athletes, real fans, and real videos”.

Para além do seu próprio anúncio, o TikTok uniu-se ainda a outras grandes marcas durante o Super Bowl, como a Mountain Dew, que criou um filtro para os utilizadores do TikTok utilizarem nos seus vídeos.

Se, em Portugal, a maioria das marcas ainda está no processo de decisão sobre a entrada nesta rede social, nos Estados Unidos da América, e em vários países da Europa, o TikTok já marcou totalmente o seu terreno.

Consequência disso, a plataforma tem feito cada vez mais esforços para oferecer mais opções e ferramentas de anúncios para as marcas. Sendo os criadores de conteúdo um dos veículos de media mais importantes, o TikTok criou também um “Content Creator Marketplace” para facilitar a ligação entre marca e criador de conteúdo.

Chegar cedo ao jogo traz muitos benefícios e as marcas precisam de ser ágeis para conseguirem entrar. Como sempre, a Geração Z está à frente da curva, como early adopter, quando se trata de uma nova rede social. No entanto, à medida que o TikTok vai crescendo, começam a chegar gerações mais velhas e vão ser as marcas que já lá estão que vão ganhar o jogo.

 

Opinião de Mariana Faria na Revista Marketeer