Zhang Yiming, criador do TikTok

Publicado por

Publicado a Julho 9, 2020

O TikTok, lançado em 2016, começou a ganhar protagonismo no mundo inteiro durante os últimos dois anos. A pandemia e o isolamento social contribuíram para o crescimento da app que permite a criação de vídeos divertidos e curtos. Mas, afinal, quem é o homem que está por detrás da criação desta tendência?

 

Quem é o criador do TikTok?

Zhang Yiming é um dos bilionários mais ricos da China. O seu percurso começou na Universidade de Nankai, onde começou por se licenciar em Microeletrónica e, seguidamente, em Engenharia de Software. Em 2006, iniciou a sua carreira profissional numa start-up de reservas de viagens digitais, a Kuxun. Segundo Yiming:

 

“Eu fui um dos primeiros funcionários e era um engenheiro comum no início. Mas, no segundo ano, estava encarregue de 40 a 50 pessoas responsáveis pela tecnologia back-end e outras tarefas relacionadas aos produtos.” – Zhang Yiming

 

A sua ascensão na empresa deveu-se à sua ética de trabalho e ao seu senso de responsabilidade. Não só desempenhava as suas funções de engenheiro, como também tinha um papel ativo noutras tarefas relacionadas ao planeamento dos produtos. De acordo com o bilionário, esta experiência acabou por lhe proporcionar habilidades de vendas que utilizou nos seus projetos futuros.

 

Zhang Yiming na Califórnia

 

Depois da Kuxun, Yiming fez uma breve passagem pela Microsoft, a qual abandonou devido às suas regras corporativas. Após a sua experiência na gigante tecnológica, dedicou-se à startup Fanfou, um site de microblog que corresponde ao primeiro clone do Twitter na China.

Em 2009, concentrou-se na sua primeira empresa, a 99Fang, uma plataforma online para fornecer informações detalhadas sobre imóveis, que se veio a tornar muito popular.

Com este espírito empreendedor e vasta experiência, foi em 2012 que fundou a empresa da qual deriva grande parte do seu sucesso, a ByteDance. Esta empresa possui várias aplicações de redes sociais que operam na China, como é o caso da FlipChat e do Duoshan. Para além disso, ainda possui o Toutiao, uma aplicação de inteligência artificial que adapta as notícias com base nos interesses dos utilizadores. A aplicação TikTok corresponde à aposta mais recente da empresa, lançada em 2016, e conhecida na China como Douyin.

 

O que levou à criação do TikTok?

Em 2014, a aplicação Musical.ly tinha muito sucesso entre os mais jovens. A rede social permitia aos utilizadores criar vídeos de dança e de sincronização labial. O sucesso desta app levou a ByteDance a criar, em 2016, a aplicação Douyin para se tornar rival da Musical.ly.

Lançada inicialmente na China, a Douyin mudou de nome para TikTok em 2017, quando foi lançada a nível internacional. Porém, o TikTok continua a ser conhecido na China como Douyin e, apesar das aplicações utilizarem o mesmo software, mantêm redes separadas para cumprir as restrições de censura chinesas.

No final de 2017, a ByteDance adquiriu o Musical.ly e, em 2018, incorporou as duas aplicações numa só. Os utilizadores do Musical.ly rapidamente migraram para o TikTok, algo que contribuiu significativamente para a popularidade da aplicação.

 

Integração TikTok e Musical.ly

 

Desde então, o TikTok tem tido cada vez mais sucesso no mundo inteiro, tendo já ultrapassado os 1,5 mil milhões de downloads. Este fenómeno global foi também impulsionado pela pandemia e pelo isolamento social, tendo alcançado em Portugal 1 milhão e 700 mil utilizadores. 

Em março deste ano, foi a aplicação que registou mais downloads a nível mundial. O crescimento acelerado do TikTok deve-se ao facto de ele estar a atrair não só adolescentes e jovens adultos, mas também utilizadores de faixas etárias mais velhas.

No caso particular de Portugal, a adesão de celebridades contribuiu para a explosão da aplicação. Vários atores e influenciadores partilham os vídeos que realizam no TikTok nas suas outras redes sociais como, por exemplo, no Instagram. Também no programa da Cristina foram propostos, durante a quarentena, vários desafios a realizar no TikTok:

 

 

Zhang Yiming acredita que para desenvolver um produto é necessário entender os utilizadores e, por isso, o CEO da ByteDance faz os seus próprios vídeos no TikTok.

 

“Durante muito tempo, eu apenas assistia a vídeos do TikTok. (…) Mas, mais tarde, tornamos obrigatório para todos os membros da equipa de gestão fazer os seus próprios vídeos do TikTok. (…) Foi um grande passo para mim”. – Zhang Yiming

 

Como será o futuro com Zhang Yiming?

O CEO da ByteDance não esconde a sua ambição nem o seu espírito inovador. Segundo ele, uma das suas prioridades é fazer coisas que sejam realmente interessantes e significativas para a sociedade. Para além disso, Yiming faz questão de destacar a importância da expansão global nos seus discursos:

 

Devemos trabalhar mais e devemos ser mais perfecionistas. Assim como houve uma divisão internacional do trabalho na era industrial, na era da informação de hoje também há uma divisão internacional do trabalho. Os empresários chineses também devem melhorar as suas próprias capacidades à medida que se tornam globais.” – Zhang Yiming

 

Zhang Yiming

 

Quanto à ByteDance, a empresa já confirmou que pretende diversificar o seu portefólio e, até à data, já lançou o seu próprio smartphone.

No que diz respeito ao TikTok, a tendência será de crescimento. A aplicação tem crescido muito rapidamente, representando uma ameaça para outras redes sociais. Para concorrer com o TikTok, Zuckerberg já lançou o Instagram Reels, que também permite gravar vídeos de até 15 segundos, semelhantes à aplicação chinesa.

O sucesso da app também tem levado os rivais a  acusarem o TikTok de ser uma aplicação maliciosa com várias falhas na privacidade. Steve Huffman, CEO do Reddit, e Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, são exemplos de empreendedores que já criticaram a aplicação.

 

TikTok

 

Apesar de todas as acusações, o TikTok nega tudo e continua a procurar a sua consolidação no mercado. Recentemente, lançou o TikTok For Business para ajudar nas empresas a utilizarem a aplicação nas suas campanhas publicitárias. 

Para além das empresas serem também um target, o TikTok tem vários planos futuros que envolvem Realidade Aumentada e está a trabalhar num novo Business Data Hub para fornecer mais insights aos profissionais de marketing.

Segundo o New York Times, o TikTok representa o futuro e é um meio de expressão diferente. É considerado pelo jornal a primeira fonte de entretenimento nascida e construída para a era dos smartphones, que marca a primeira vez que os americanos consideram que as suas empresas nem sempre dominam a Internet.

Será que Yiming vai conseguir manter o sucesso do TikTok no futuro e conseguir a atenção não só de mais utilizadores mas também das empresas?

 

 

 

Referências

brandastic.com

businessinsider.com

businessoffashion.com

scmp.com

socialmediatoday.com

nit.pt

nytimes.com

oberlo.com

vulcanpost.com