Como a Elife trata os dados de consumidores nos Bots dos seus clientes?

Publicado por

Publicado a Agosto 31, 2020

A segurança no uso de dados pessoais é uma questão cada vez mais prioritária para os negócios e seus consumidores. Não apenas empresas de software, mas também governos estão a criar novas regras para oferecer mais segurança a pessoas que partilham dados pessoais ao usar um serviço.

Para oferecer uma melhor experiência aos consumidores, é preciso explicar para cada indivíduo como as suas informações serão tratadas. Quando falamos das empresas , o desafio é adequar os seus serviços ao novo Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD).

Todos os bots desenvolvidos para clientes Elife agora terão uma nova função que auxilia os consumidores no tratamento dos seus dados.

 

Como os consumidores podem controlar o uso dos seus dados?

Agora todos os bots de clientes Elife terão, no menu inicial, um botão Políticas de Privacidade. Nele, há duas opções:

  • Excluir dados: Limpa todo o histórico de conversa com o chatbot – incluindo informações pessoais usadas para aceder a algum recurso, como o ID do utilizador, NIF etc.

 

  • Termos de Uso: Resumo de todos os dados que o chatbot fornece e recolhe. O utilizador poderá entender como a marca armazena dados no bot. As informações pessoais solicitadas pelo bot servem para consultar API de software do próprio cliente (banco de dados da empresa).

 

Como os bots Elife utilizam dados dos consumidores?

Ao utilizar um chatbot no Messenger, o assistente identifica logo na primeira interação o nome do utilizador. Em função do serviço utilizado, esse é o único dado pessoal necessário.

Em chatbots de Websites, o nome do utilizador não é recolhido ou é solicitado no início da conversa.

Para outras funções solicitadas pelo consumidor, o chatbot pode pedir o NIF para identificação do cliente ou dados do cartão de crédito, em casos de cobrança.

Essas informações pessoais são utilizadas pelo bot para consultar o banco de dados da empresa (API) unicamente.

 

Como a mudança irá afetar as marcas?

É importante lembrar que, mesmo que o consumidor apague o seu histórico de conversa, as métricas de desempenho do bot não são perdidas.

A marca não terá mais acesso às informações que a pessoa deu na conversa com o bot, mas os dados de desempenho do chatbot continuam a ser contabilizados normalmente, como:  número de acessos, cliques em cada um dos botões, métricas de uso das funções etc.